Translate

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Asteroide pode cair na terra em 2022

ADVERTÊNCIA: Fragmentos de ASTEROIDE
 podem acabar com vários países, eles estão
 escondidos na chuva de meteoros de Taurids,
Astrônomos estão alertando que fragmentos 
de asteroides que poderiam acabar com países
 inteiros estão escondidos na chuva de meteoro
 Taurids, acompanhe a notícia Realista,
 
A descoberta surpreendente significa que os especialistas podem não
 conseguir detectar a enorme rocha espacial escondida na chuva
 anual de meteoros “Taurids” antes que seja tarde demais.
 
De acordo com um grupo de pesquisadores, um dos fragmentos 
atingirá a Terra  nos anos 2022, 2025, 2032 e 2039 durante a 
chuva de meteoros anual.
 
O Taurids é uma chuva de meteoros espetacular que acende os céus
 noturnos a cada novembro.
 
A chuva de meteoros é a trilha de detritos deixada pelo cometa
 Encke
Mas os detritos podem estar obscurecendo dois asteroides
 conhecidos como 20124 TX24 e 2005 UR que são potencialmente 
possível atingir à Terra.
 
A órbita da Terra passa por toda a região no espaço a cada  ano,
 e especialistas do Instituto Astronômico da Academia 
Checa das Ciências acreditam que estamos aproximando-se 
disso e que talvez haja pedaços desconhecidos que ainda não foram 
descobertos,
 
A equipe de pesquisa da arXiv disse em ima publicação que: 
"É ... muito provável que o novo ramo contenha também numerosos
 objetos ainda não descobertos de grande porte ou mesmo tamanho 
de um meteorito.
"Uma vez que os asteroides de tamanhos de dezenas a centenas de 
metros oferecem um tratamento ao solo, mesmo que sejam 
intrinsecamente fracos, o risco de impacto aumenta 
significativamente quando a Terra encontra o novo ramo 
Taurid a cada alguns anos.
 
"Mais estudos que conduzem a uma melhor descrição dessa fonte
 real de objetos potencialmente perigosos, que podem ser 
suficientemente grandes para causar danos regionais ou até
 mesmo continentais significativos na Terra, são, portanto, 
extremamente importantes".
 

Os asteroides conhecidos pelos pesquisadores têm entre 
200 e 300 metros de largura.
 
Para colocar isso em perspectiva, em 2013 um meteorito de 
20 metros explodiu sobre Chelyabinsk, na Rússia, que quebrou 
as janelas e causou feridos a mais de 1.000 pessoas.
 
Se os pedaços de asteroides tiverem pelo menos 10 vezes esse
 tamanho, o dano poderia ser catastrófico,.

Gostou da notícia? Comente

quarta-feira, 7 de junho de 2017

O enorme buraco encontrado em Marte pode ser prova de atividade Alieníge...

A Nasa ficou desconcertada com a descoberta
Os astrônomos da NASA ficaram com a cabeça cheia depois de descobrir um enorme buraco no chão de Marte, o que levou os teóricos da conspiração a concluir que os alienígenas podem ser responsáveis pelo buraco
.
O Orbitador de Reconhecimento de Marte da Nasa (MRO), que estudou a superfície de um dos vizinhos galácticos mais próximos da Terra, descobriu o furo brilhante que os especialistas estão tentando explicar.

A agência espacial explicou que o poço, que está perto do pólo sul marciano, é de centenas de metros de diâmetro e está rodeado de dióxido de carbono congelado.

A NASA disse em um comunicado: "Este padrão é criado quando há um material relativamente alto e suave que é quebrado nas depressões de forma circular formando o terreno de forma de um" queijo suíço ".

"As depressões são pensadas para ser causadas pela sublimação, que é quando um material vai diretamente de um estado sólido para uma fase gasosa.

"As imagens repetidas são tiradas de áreas como esta, de modo que as mudanças no tamanho da depressão e onde elas se formam podem ser monitoradas durante as estações".

A imagem foi tiradas em Alta Resolução pela MRO, ou a câmera HiRISE, que permite aos especialistas ver objetos que ultrapassam um metroe pode cheagar atéé 400 quilômetros no céu marciano.
Isso significa que, como um pixel representa 50 centímetros na imagem, o poço é de centenas de metros de largura.

Não está claro o que causou a cratera, mas a NASA suspeita de impactos de meteoritos, colapso de tubos de lava ou inundações antigas poderiam ser responsáveis.
No entanto, a conspiração do YouTube Channel SecureTeam 10 diz que a atividade alienígena pode estar em jogo, dizendo que o poço mostra algumas "características artificiais".
O narrador continua dizendo: "Esta é uma depressão, quase como se algo estivesse esvaziado aqui".

Acrescenta que existem "teorias alternativas em que muitos acreditam que alguns desses buracos são de fato entradas de uma civilização subterrânea".
Gostou da notícia? Comente, Dê um joinha e se inscreva no canal Notícias Realistas, Até Breve.


A (LIGO) detectou ondas gravitacionais a 3 bilhões de anos luz de distâ...


Mais uma vez, a terceira desde setembro de 2015, o Observatório de Ondas Gravitacionais por Interferometria Laser (LIGO, na sigla em inglês) nos deu boas notícias. Na manhã desta quinta-feira (1º), a equipe de pesquisadores, mais de mil físicos, cosmólogos e astrofísicos, espalhados pelo mundo afora (inclusive no Brasil) anunciou o terceiro evento de detecção de ondas gravitacionais!
Antes de entrar nos detalhes do anúncio, vamos relembrar como o LIGO funciona. O observatório se constitui de dois interferômetros a laser, um no estado de Washington e outro no estado da Lousiana, ambos nos EUA e distantes uns 3 mil quilometros um do outro. Os interferômetros são na realidade dois braços de 4 km de comprimento construídos na forma de um 'L'. Um mesmo feixe de laser de alta precisão é dividido e percorre os dois caminhos para se reencontrarem depois de serem refletidos. A ideia aqui é que se houver (e há!) ondas gravitacionais percorrendo o universo, essas ondas vão fazer o espaço se deformar, conforme elas passam. No caso, a própria Terra oscila quando é atingida pelas ondas e como os feixes estão separados por 90 graus, um braço deve se deformar mais que o outro e isso aparece quando os dois feixes de laser se reencontram. Foram construídos dois observatórios para garantir que um não sofra de um falso positivo, isso é, para haver uma detecção verdadeira, os dois precisam observar esses desvios no laser.

E foi isso o que aconteceu no dia 4 de janeiro desse ano. Às 02h11 da manhã, o LIGO do estado de Washington detectou um evento de chegada de ondas gravitacionais que foi detectado no LIGO de Lousiana 3 milissegundos depois. Uma análise rápida mostrou que o evento se deu a 3 bilhões de anos luz de distância, ou seja, quando ele aconteceu a Terra estava ainda em processo de formação sofrendo um intenso bombardeio dos asteroides que sobraram da formação do Sistema Solar.

Mas, como um evento desses se origina?

Há várias maneiras de se produzir ondas gravitacionais, dentre elas a explosão de supernovas e hipernovas, colapsos de estrelas de nêutrons e a colisão de buracos negros. A detecção do evento de janeiro desse ano, chamado de GW170104, foi uma colisão de buracos negros, assim como as outras duas anteriores. Mas a essa altura do texto você deve estar se perguntando, mais do mesmo? O que essa nova detecção trouxe de novidade?

O evento de GW170104 foi uma colisão como as outras, mas seus detalhes trazem novidades interessantes. A primeira é a própria distância, 3 bilhões de anos luz é mais que o dobro das distâncias anteriores, mostrando que o observatório está mais afiado do que nunca! Mas o mais interessante é que um dos buracos negros que se fundiram tinha 32 vezes a massa do Sol e o outro tinha 19 massas solares, formando um objeto final com 49 massas solares. Ambos são de uma categoria intermediária de buracos negros, aqueles com aproximadamente 20 massas solares. Essa categoria intermediária nunca tinha sido observada antes, nem que fosse pelos tradicionais meios indiretos. Os outros dois eventos envolviam objetos com aproximadamente 10 massas solares (no segundo evento) e mais de 30 massas solares (no primeiro evento).

Mas pera lá, 32+19 dá 51, como pode o buraco negro final ter "só" 49 massas solares? As duas massas do Sol que faltam nessa conta foram convertidas em energia e irradiada no espaço sob a forma de ondas gravitacionais, exatamente como previsto pela Teoria da Relatividade de Albert Einstein.

Outro detalhe super legal obtido da análise do sinal detectado é que pelo menos um dos buracos negros tinha rotação que não estava alinhada com a órbita dos dois. Assim, como o nosso Sistema Solar se formou todo da contração de uma mesma nuvem de matéria e a própria nuvem tinha uma rotação, todos os planetas guardaram essa rotação. Todos eles nasceram com rotação no mesmo sentido com seu eixo quase na perpendicular com o plano de suas órbitas. Claro que 5 bilhões de anos são mais do que suficiente para mudar isso, mas no geral todos os planetas ainda guardam essa configuração, exceto Urano e Vênus que devem ter tido um evento de colisão ou alguma "raspão" de um outro corpo celeste muito grande que alterou essa característica.

Voltando aos buracos negros, se a rotação deles estivesse alinhada com a órbita de um em volta do outro, isso significaria que as os dois teriam se formado a partir de uma estrela dupla, um par de estrelas massivas que terminaram suas vidas de forma dramática, mas que tiveram a mesma origem. Mas com esse desalinhamento, tudo indica que ambos devem ter se formado em partes distantes no espaço, talvez um aglomerado de estrelas, e que depois de vários bilhões de anos acabaram se encontrando num abraço final.

Cada um desses detalhes nos traz a confirmação de pontos das teorias que ainda persistem sem estudos. Apesar das ondas gravitacionais terem sido previstas a 101 anos, sua confirmação só pôde ser feita há 18 meses. Cada evento certamente trará mais novidades. Sem falar que no final do ano que vem, o LIGO vai interromper suas operações para fazer um upgrade em seus equipamentos. A primeira detecção feita em 2015 foi possível após um upgrade também, ou seja, podemos esperar por muito mais novidades interessantes. Enquanto isso, podemos ficar de olho no atual período de observações que deve se estender até outubro, mais ou menos.
 
  Gostou da notícia?? Notícias Realistas

quinta-feira, 1 de junho de 2017

Carol Nakamura surge linda em fotos de maiô nas redes Notícias #04

Carol Nakamura encantou os seguidores com fotos de maiô nas redes sociais nessa quarta-feira (31). As imagens fazem parte de um ensaio para uma nova coleção de roupas de banho e mostram como a grife acertou em cheio ao escolher a atriz como garota-propaganda.